O que é roteador de borda e como ajuda na expansão de ISPs

O Roteador de borda é um dispositivo bem conhecido e importante para provedores que com o tempo, viram o número de clientes aumentando, criaram novas propostas de conexão, até mesmo para outros provedores e necessitavam levar sua infraestrutura para o próximo nível.

Para ISPs que estão começando a ver esses sinais em sua operação, é muito valioso entender o funcionamento dessa tecnologia, quais são os pontos de atenção no momento da implantação e é claro, como escolher um roteador adequado.

Por isso, preparamos esse artigo especial para você, continue lendo!

O que é um roteador de borda?

Um roteador de borda, também conhecido como gateway de borda ou edge router, é um dispositivo de rede que atua como ponto de conexão entre uma rede local (LAN) e uma rede externa, como a internet ou outra rede pública. Ele desempenha um papel crucial ao facilitar a comunicação entre os dispositivos locais e aqueles em outras redes, agindo como o intermediário entre a intranet de uma organização e as redes externas.

Como funcionam os roteadores edge?

Normalmente, um roteador de borda é colocado no limite da rede local, próximo à conexão com a rede externa. Nesse sentido, sua principal função é rotear o tráfego entre a rede local e a rede externa, direcionando pacotes de dados para seus destinos corretos. Isso envolve tomar decisões sobre o melhor caminho para encaminhar os pacotes com base nas informações contidas em seus cabeçalhos, como endereços IP de origem e destino.

Além disso, os roteadores de borda também podem fornecer outras funcionalidades, como tradução de endereços de rede (NAT), filtragem de pacotes para segurança, balanceamento de carga e controle de tráfego. 

Isso pode incluir funcionalidades de firewall para segurança, controles de qualidade de serviço (QoS) para priorizar o tráfego e suporte à rede privada virtual (VPN) para acesso remoto seguro.

Qual é o impacto dos roteadores de borda no dia a dia?

Geralmente, os roteadores de borda são implantados em locais onde várias redes convergem, como pontos de presença (POPs) de provedores de internet ou data centers. 

Assim, desempenham um papel fundamental na operação e no dia a dia, por lidar com grandes volumes de tráfego. Além disso, têm papel crucial no gerenciamento da conectividade da rede, garantindo uma comunicação confiável e segura.

Como escolher um roteador de borda?

Existem várias marcas populares de roteadores de borda no mercado, entre elas, Cisco Systems, Huawei, Arista Networks e Juniper Networks. A escolha envolve a consideração de vários fatores específicos aos requisitos e à organização da sua rede. Aqui estão algumas considerações importantes ao selecionar um roteador de borda: 

  • Desempenho e escalabilidade: avalie os recursos de taxa de transferência do roteador para garantir que ele possa lidar com o volume de tráfego de sua rede. Para tanto, considere fatores como taxa de encaminhamento de pacotes, sessões simultâneas e largura de banda máxima suportada. Ainda, avaliar a escalabilidade do roteador para acomodar o crescimento futuro e o aumento da demanda; 
  • Conectividade de rede: determine os tipos de conexões de rede necessários para sua organização. Nesse caso, considere o suporte do roteador para diferentes tipos de interfaces, como Ethernet, fibra óptica ou sem fio. Certifique-se de ter as interfaces físicas e lógicas necessárias para se conectar aos seus dispositivos de rede e redes externas; 
  • Protocolos de roteamento: avalie o suporte do roteador para protocolos de roteamento relevantes para sua rede. Os protocolos comuns incluem Border Gateway Protocol (BGP) para conectividade com a internet, Open Shortest Path First (OSPF) para roteamento interno e Virtual Router Redundancy Protocol (VRRP) para alta disponibilidade; 
  • Recursos de segurança: avalie os recursos de segurança do roteador, como funcionalidade de firewall, listas de controle de acesso (ACLs) e suporte a VPN. Aqui, considere a capacidade do roteador de proteger contra ameaças de rede comuns e seu suporte para protocolos de criptografia para proteger a transmissão de dados; 
  • Quality of Service (QoS): se sua rede requer priorização de tipos específicos de tráfego, como voz ou vídeo, verifique se o roteador suporta mecanismos de QoS. Ainda, procure recursos como modelagem de tráfego, alocação de largura de banda e priorização de pacotes para garantir que aplicativos críticos recebam os recursos de rede necessários.

Principais pontos de atenção ao implantar roteadores de última geração.

Ao implantar roteadores de borda, há alguns desafios que necessitam de uma grande atenção para garantir uma implantação bem-sucedida. Aqui estão alguns dos principais pontos a serem observados.

1. Arquitetura de rede

Avalie a arquitetura de rede existente e planeje a implantação dos roteadores de borda. Considere fatores como topologia de rede, pontos de entrada/saída de tráfego, requisitos de segmentação de rede e conectividade com outras redes.

2. Capacidade de desempenho 

Certifique-se de que os roteadores de borda selecionados tenham capacidade de desempenho adequada para lidar com o volume de tráfego esperado em sua rede. Para tanto, considere a taxa de transferência, a capacidade de processamento de pacotes e a escalabilidade dos roteadores.

3. Redundância e alta disponibilidade 

Planeje a implantação de seus roteadores de borda com redundância para garantir alta disponibilidade da rede. Aqui, utilize técnicas como balanceamento de carga, failover automático e roteamento dinâmico para garantir que a rede permaneça operacional em caso de falhas.

4. Monitoramento e gerenciamento 

Implemente ferramentas de monitoramento e gerenciamento para acompanhar o desempenho e a integridade dos aparelhos. Nesse caso, utilize protocolos de gerenciamento de rede para coletar informações e permitir a configuração remota dos roteadores.

5. Dimensionamento adequado 

É essencial considerar o crescimento futuro da rede ao implantar os roteadores de borda. Certifique-se de escolher roteadores que possam lidar com o aumento do tráfego e adicionar capacidade conforme necessário.

6. Gerenciamento de mudanças 

Estabeleça um processo de gerenciamento de mudanças adequado para garantir que as alterações de configuração nos roteadores de borda sejam realizadas de maneira controlada e documentada. Isso ajudará a evitar erros e garantir uma operação estável da rede.

Conclusão

Sem dúvidas, a utilização de um roteador de borda é importante para garantir uma conectividade eficiente, segura e confiável em uma rede. Muito mais do que facilitar o monitoramento e solução de problemas, esse tipo de equipamento ajudará você a manter uma conexão rápida e de alta qualidade para seus clientes.

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.